quinta-feira, 20 de março de 2008

A "anomalia" do mais normal

Recebemos o seguinte contributo do Romeu Afonso,

A “anomalia” do mais normal

No rescaldo das eleições espanholas e pegando em algumas palavras sábias de Vital Moreira (Público, 11 de Março de 2008), encontramos nos resultados das mesmas, uma “anomalia”.
Qual? A bipolarização entre PSOE e PP. Ambos subiram em votos e em deputados (em relação a 2004) e se juntos atingiram 85% dos votos, mais claro ficou ainda a distribuição de deputados, onde as duas forças juntas têm agora cerca de 90% dos legisladores.

As Leis de Duverger, tiveram nesta eleição o destapar de uma possível falha, precisamente naquela que se julgava menos atacável: sistemas eleitorais maioritários – como o Reino Unido – tendem a gerar sistemas bipartidários enquanto que, os sistemas eleitorais proporcionais – como o espanhol e o português – tendem para sistemas multipartidários.

No caso espanhol, acresce a existência de partidos regionais, que pela sua força em determinadas províncias deveria anular a tendência bipartidária, pois mesmo obtendo poucos votos a nível nacional teriam representação. A explicação será porventura simples (existe simplicidade nas escolhas pessoais???) e passará pela federação de todas as direitas no PP, o declínio do comunismo e a abrangência ideológica do PSOE. A somar a estas teremos sempre de acrescentar o cada vez mais “vendido”: voto útil.

O novo parlamento será portanto um conjunto de duas forças maiores, secundadas lá muito, muito longe pela Esquerda Unida e União Progresso e Democracia.
Ora transportando esta questão para Portugal, temos que, os círculos eleitorais são parecidos (os círculos em Espanha correspondem às províncias e não às comunidades) e portanto podemos fazer uma análise comparativa.

Portugal não tem partidos regionais, mas também não tem federações de direitas ou esquerdas nem partidos de abrangência ideológica (se tiver algum será o PS???) e assim sendo em questão de representação parlamentar podemos chamar ao caso português um “pentapartidismo”. Em que caminho estamos? Haverá amanhã uma luta PS / PSD ou o nosso Comunismo, Populismo e Extremismo (saudável) de Esquerda vão continuar a dar outras cores à nossa Assembleia.

Como alguém dizia: Não percam os próximos episódios, porque nós também não!